Notícia

05/08/2013 | A geometria de cores de Aurelino dos Santos | Época | SP

O artista baiano expõe 21 trabalhos na Galeria Estação

As pinturas com traços geométricos e cores fortes das telas do soteropolitano Aurelino dos Santos (1942) revelam um modo peculiar de olhar para a cidade e para o universo que se esconde entre as frestas das fachadas. Seus trabalhos surpreendem pelas formas singulares e pela tensão entre a rigidez dos contornos e uma certa “animação febril das superfícies”, nas palavras do curador Lorenzo Mammì.
Aurelino cria seus contornos retos ou sinuosos muitas vezes inspirado em objetos recolhidos na rua – ripas de madeira ou tampas de lata, por exemplo. Como revelam as 21 obras da exposição, a produção do artista mistura referências que passam pelo barroco, concretismo e neoconcretismo e se utiliza de uma série de recursos como cores chapadas, colagens, pontilismos e pinceladas fortes. No dia 6/8, terça-feira às 20h, o curador Mammì e o pintor Fábio Miguez participam de uma conversa a respeito do trabalho de Aurelino.

MARIA FERNANDA VOMERO




Galeria Estação
Instagram