Artista

Agostinho Batista de Freitas

Agostinho Batista de Freitas
Av. 23 de Maio
Igreja Consolação
Cemitério Chora Menino
Sem título
Sem título
Sem título
Colheita de Cana de Açucar
Sem título
Sem título
Viaduto do Chá
Sem título
Parque do Ipiranga
Sem título
Serra do mar
Paisagem litorânea

Ampliar texto

Biografia

Agostinho Batista de Freitas
1927, Campinas, SP – 1997, São Paulo, SP

Foi com 17 anos para a cidade de São Paulo, fixando-se em Imirim. Filho de pais portugueses imigrantes da Madeira, trabalhadores da terra no interior do Estado, Agostinho em criança carpia roça e cuidava da criação dos animais. Seus primeiros desenhos foram riscados no chão e nas árvores. Alfabetizou-se em São Paulo e exerceu diversos ofícios: ajudante de pedreiro, encaixotador, eletricista.
Foi revelado por Pietro Maria Bardi, que o encontrou vendendo seus trabalhos aos domingos na Praça do Correio e organizou a sua primeira exposição, no Museu de Arte de São Paulo (Masp), em 1952.
Pinta a paisagem urbana da cidade de São Paulo: “A cidade é assim, por esses arranha-céu, por esses prédio, parece que a gente tá no meio de uma rocha, parece um mistério, parece um cemitério” (entrevista a Lélia Coelho Frota, 1976).
Agostinho também pintou o campo, mas preferiu a cidade ao interior: “Luminoso pra cá, letreiro pra lá, naquilo estuda tanta coisa na cabeça, né. Agora, no mato não, ce só vê mato, a única coisa é pensar em ir plantar, né.” A cidade, a um tempo lugar da arquitetura de lápides e de movimento, de feição hiper-realista. E a roça, nas suas palavras, “quadro de imaginação”, talvez pela idealização da distância e da nostalgia do passado. Entre essas representações de cidade e campo, a que se acrescentaram algumas cenas de ritual católico e raríssimas naturezas-mortas, Agostinho deu forma única ao seu talento de criador. Participou de inúmeras mostras no Brasil e no exterior, entre as quais citamos a Bienal de Veneza (1966), a Brazilian Primitives, nos Estados Unidos (1975), e a Arte Naïf: Cinco Artistas, em São Paulo (1998).

Pequeno Dicionário do Povo Brasileiro, século XX | Lélia Coelho Frota – Aeroplano, 2005

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS E COLETIVAS SELECIONADAS

2016 Histórias da Infância, MASP, São Paulo | SP
2015 Acervo em Transformação, MASP, São Paulo | SP
2015 Arte do Brasil no século XX, MASP, São Paulo | SP
2014 Novas Aquisições MAM , Rio de Janeiro | RJ
2009 Feira Casa Brasil, Parque de Eventos Bento Gonçalves, Bento Gonçalves | RS
2008 Direito à Poesia, Galeria Estação, São Paulo | SP
2003 A Arte Atrás da Arte: onde ficam e como viajam as obras de arte, MAM, São Paulo | SP
2002 Pop Brasil: a arte popular e o popular na arte, CCBB, São Paulo | SP
2002 Santa Ingenuidade, Unifieo, São Paulo | SP
2002 6ª Bienal Naifs do Brasil, Sesc, Piracicaba | SP
2001 Forma-e-Cor como Luz nos Naïfs, Galeria Itaú Cultural, Penápolis | SP
2001 Forma-e-Cor como Luz nos Naïfs, Galeria Itaú Cultural, Brasília | DF
2000 Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento. Arte Popular, Fundação Bienal, São Paulo | SP
1998 Iconografia Paulistana em Coleções Particulares, Museu da Casa Brasileira, São Paulo | SP
1998 Arte Naïf - 5 Artistas, Galeria Jacques Ardies, São Paulo | SP
1996 O Mundo de Mário Schenberg, Casa das Rosas, São Paulo | SP
1996 3ª Mostra de Arte, Centro Universitário Fieo, Osasco | SP
1996 Expo FIEO: doação Luiz Ernesto Kawall, Centro Universitário Fieo, Osasco | SP
1995 2ª Mostra de Arte, Centro Universitário Fieo, Osasco | SP
1994 Grande Exposição de Arte Naïf Brasileira, Galeria Jacques Ardies, São Paulo | SP
1990 Exposição de Reabertura, Pinacoteca do Estado, São Paulo | SP
1988 Brasiliana: o homem e a terra, Pinacoteca do Estado, São Paulo | SP
1985 6º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, Fundação Educacional de Penápolis: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Penápolis | SP
1985 Agostinho Batista de Freitas, Studio José Duarte de Aguiar e Ricardo Camargo, São Paulo | SP
1984 Festa das cores, Museu de Arte de Goiânia, Goiânia | GO
1980 Pintores Populares y 3 Grabadores de Brasil, Instituto Nacional de Bellas Artes, Cidade do México | México
1979 Arte no Brasil: uma história de cinco séculos, Masp, São Paulo | SP
1975 Brazilian Primitives, Itinerante, Estados Unidos
1978 Agostinho Batista de Freitas: pinturas, Centro de Artes Shopping News, São Paulo | SP
1966 33ª Bienal de Veneza, Veneza | Itália
1966 O Artista e a Máquina, MAM/RJ, Rio de Janeiro | RJ
1952 Agostinho Batista de Freitas, MAM/SP, São Paulo | SP
1952 Agostinho Batista de Freitas, MAM/BA, Salvador | BA
1952 Agostinho Batista de Freitas, MACC, Campinas | SP
1952 Agostinho Batista de Freitas, MASP, São Paulo | SP - organizada por Pietro Maria Bardi

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

2015 Concreto e cristal: o acervo do MASP nos cavaletes de Lina Bo Bardi / organização Adriano Pedrosa, Luiza Proença. 1ª edição - Rio de Janeiro: Cobogó; São Paulo: MASP.
2008 Direito à Poesia, Catálogo, Galeria Estação, São Paulo | SP
2005 Pequeno Dicionário da Arte do Povo Brasileiro - século XX, Lélia Coelho Frota, São Paulo | SP
2000 Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento: Arte Popular, Catálogo, Fundação Bienal, São Paulo | SP
1998 Naïve Art in Brazil, Jacques Ardies, São Paulo | SP
1988 Pensando a Arte, Mario Schenberg, São Paulo | SP
1988 Dicionário Crítico da Pintura no Brasil, Jose Roberto Leite, Rio de Janeiro | RJ
1983 Coleção de Arte Brasileira, João Marino, São Paulo | SP
1978 Aspects of Brazilian Primitive Painting, Aquino de Flavio, Rio de Janeiro | RJ
1977 L’arche de Noe et Les Naifs, Louis Pauwels, Paris | França
1976-1980 Dicionário Brasileiro de Artistas Plásticos, Carlos Cavalcanti, Brasília | DF
1975 História da Arte Brasileira, Pietro Maria Bardi, São Paulo | SP
1969 Dicionário de Artes Plásticas no Brasil, Roberto Pontual, Rio de Janeiro | RJ

COLEÇÕES PÚBLICAS / INSTITUCIONAIS

Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo | SP - Brasil
Museu de Arte Moderna - MAM, São Paulo | SP – Brasil
Museu de Arte Moderna - MAM, Rio de Janeiro | RJ - Brasil
Museu de Arte de São Paulo - MASP, São Paulo | SP - Brasil




Galeria Estação
Instagram